Escolinha ou não, eis a questão!

Em December 2nd, 2015
Categorias: Desabafos

Eu não queria colocar meus filhos na escolinha até eles completarem 3 anos. Eu não queria terceirizar a educação deles, afinal EU sou a mãe e a obrigação é toda minha. Ajuda? Não posso pedir ajuda, eles são MINHA responsabilidade.

E aí, a realidade bateu à minha porta.


escolinha ou nao

Nasceu o Mikael. Não foi fácil, fiquei cheia de medo porque nunca tinha sequer trocado uma fralda (leia sobre isso aqui) mas fui dando conta, Confesso que sempre que podia deixava-o no colo de amigos pra que eu tivesse ali alguns minutos de “eu comigo mesma”, nem que fosse pra ir ao banheiro ou tomar um copo de água. Nasceu o Gabriel, e na época o Mika tinha acabado de completar um ano. Agora eram dois, ficou muito mais difícil mas eu dava conta. Já me estressava bastante ao final do dia, com dois bebês 100% dependentes e um deles correndo por tudo (Mika andou com 9 meses) mas sem noção nenhuma de perigo. Era um olho no peixe, outro no gato, outro nos afazeres domésticos e teoricamente outro em mim mesma. Me mudei pra São Paulo e aqui nasceu Daniel. Agora temos aqui 1 bebê 100% dependende, e outros dois já com alguma noção de certo e errado, pode não pode, um deles teimoso, o outro mais flexível, os 3 bonzinhos mas muito ativos e amantes de uma bala baderna.

escolinha ou naoChegamos num ponto aonde eu terminava o dia transbordando culpa por ter perdido a paciência e me exaltado aqui e ali com os mais velhos, ia dormir cansada e acordava mais cansada ainda imaginando o dia que se seguiria. Sem tempo pra comer, pra dormir, ir ao banheiro ou tomar banho. Cuidar de mim? Que “mim”? Eu já não sabia o meu nome, eu já não era Joana. Era a mãe dos meus filhos. E eles? Eles não estavam bem. Estavam de saco cheio de ficar no mesmo ambiente. Estressados, mau humorados mesmo que eu tentasse ao máximo dedicar-me 100% à eles. “Por que você não os coloca na escolinha?” perguntavam meus amigos? Minha resposta eram muitas…

Eu tinha medo que eles apanhassem e não me falassem nada, os especialistas diziam que o melhor é colocar a criança na escola com 3 anos, eu não queria terceirizar a educação deles, e não admitia que eu PODIA pensar em mim de vez em quando. Que comer comida quente ou tomar um banho um pouco mais demorado não era pecado, e que eu podia fazer minhas necessidades sem plateia. Que eu não seria menos mãe se os colocasse na escolinha antes “da hora certa”.

Foi aí que, vendo o caos ao meu redor eu percebi…

Percebi que a hora certa não é especialista que determina. Que cada criança é um ser humano diferente. Uns mais tímidos, uns com personalidade mais forte. Alguns comem verduras enquanto outros detestam. Alguns dormem muito enquanto outros madrugam. Alguns gostam de dança enquanto outros preferem futebol, ou gostam dos dois, por que não?

Percebi que eu estava tão ocupada tentando fazer o melhor, que esqueci de olhar ao meu redor e VER o que seria realmente o melhor. Melhor pra eles, melhor pra todos nós. Percebi que colocar na escolinha não é terceirizar educação, e sim permitir que eles aprendam coisas que EU não poderia ensinar como o desafio do convívio com outras crianças da mesma idade e colocar em prática aquilo que ensino em casa, como conversar quando a raiva vem ao invés de bater, além de aprender a obedecer outra autoridade que não sejamos eu ou meu marido. Falar melhor, cantar musiquinhas, identificar os números, formas e cores são bônus. O principal benefício da escolinha são outros, além dos citados acima.escolinha ou nao

Hoje eu deixo o Mikael (3) e o Gabriel (2) na escolinha e enquanto eles estão lá faço tudo o que preciso, entre serviços de rua, trabalho de casa, o lado profissional e o pessoal embora esse último ainda seja uma dificuldade pra mim. Quando eles voltam da escola eu terminei tudo e posso dar atenção integral à eles. Jantamos, vemos desenhos, brincamos, conversamos, dou banho neles, e os coloco pra dormir. Tudo isso num intervalo de tempo menor do que antes, mas com mais qualidade! Com mais prazer. Não é todo dia que eu estou super disposta e cheia de vontade de fazer tudo. Tem aqueles dias aonde eu quero passar o dia deitada na cama comendo pipoca e vendo filmes, sou humana também.

No fim das contas colocá-los na escolinha foi a melhor escolha que fiz. Sei que eles estão bem lá, com pessoas responsáveis e carinhosas, consigo fazer tudo com mais qualidade, eles voltam felizes e cheios de coisas pra contar, cantam musiquinhas, comem melhor, falam melhor, conversam, não brigam tanto, sentes saudade da mamãe e a mamãe sente saudade deles, temos mais vontade de ficar juntos e quando a gente se vê é muito mais gostoso.

Ler mais sobre: Desabafos
Por Joana
joana scheer comente
Comente