Festa na escola do Gabriel e a mamãe só pra ele

Em June 30th, 2016
Categorias: Desabafos

Como é difícil ter um tempo só pra ele, e como isso me dói. Ele é tão seguro, tão independente, mas ao mesmo tempo tão pequeno, tão frágil. Meu passarinho Gabriel.

Hoje foi um dia especial na escolinha do Gab, e eu fui. Ia levar toda a tropa mas não. Decidi me esforçar pra ter um tempo de mamãe e Gabriel, só nós dois.

joana-scheer-gabriel

Pedi pra estender o tempo do Daniel na escolinha dele hoje e pedi à minha mãe que ficasse um pouco com o Mikael para que eu pudesse ter esse tempo. Não costumo fazer isso com frequência mas eu precisava, ele precisava.

Como foi gostoso! Tão gostoso que esqueci de colocar o celular pra carregar e nem levei. Deixei de tirar fotos, de “snapchatear” mas os sentimentos nunca vão sair do meu coração e as imagens nunca deixarão a minha memória.

Cheguei na escolinha e fiquei aguardando as apresentações de dança com os outros pais.

Eles desceram as escadas, as crianças foram correndo pros seus pais e ele esticando o pescocinho procurando a mamãe que tinha prometido estar ali. Procurava, procurava e nada. De longe eu fui vendo aqueles olhinhos azuis se encherem de lágrimas. Então ele me viu.

Correu pra mim com um sorriso, me deu um beijo de esquimó e foi dançar. Mas que dança que nada, ele –e pelo menos 50% das outras crianças- desistiu da dança e quis colinho. Eu o levantei e apertei, abracei, beijei, cheirei aqueles caixinhos dourados enquanto uma lágrima escorria pelo meu rosto. Como esses momentos são preciosos.

Leia: Saudades do filho do meio

Ele disse que não queria dançar e eu disse que tudo bem, não tinha problema nenhum. Logo a dancinha acabou e fomos desfrutar das comidinhas típicas de junho. Comemos num prato só, dividimos o suco e demos muitos beijinhos. Ele comeu milho, eu comi cuz-cuz. Comemos bolo e paçoca. Ele pulou na piscina de bolinhas e quis me mostrar seus amigos. Aos amigos ele também me mostrou. “Essa é amiga mãe” dizia ele, todo orgulhoso.

É bom demais ter 3 filhos, mas melhor seria se o dia tivesse 72 horas, pra que eu pudesse dedicar 24 a cada um. 96 vai, também preciso de um tempo pra mim.

Como é difícil dar a mesma atenção a todos. Na verdade é missão impossível mesmo, porque por mais que as idades sejam próximas, são três seres humanos diferentes, cada um com seus trejeitos, manias, birras, etc. E cada mês de diferença entre eles conta como um abismo. O Dani, miudinho é totalmente dependente. Já o Mika é o mais velho então já se vira em muitas áreas e até me ajuda (de livre e espontânea vontade, que fique claro). O Gab tá ali, na meiuca. É independente, mas ao mesmo tempo dependente pra muitas coisas. Os três exigem atenção, amor, carinho, em doses colossais! É desafiador, e eu posso dizer que faço o meu melhor, ainda que seja um melhor esquisitão de vez em quando.

Gabinho, como te amo meu passarinho. *suspiros*

 

Ler mais sobre: Desabafos
Por Joana
joana scheer comente
Comente