Você está acostumando mal ele no colo… Oi?

joana scheer Em June 19th, 2017

Num passado não muito distante, eu mesma pensava que dar muito colo acostumava mal, o bebê ficava mimado, e por aí vai. Tempo, e experiência depois parei pra pensar o PORQUÊ desse pensamento. Inveja por não ter aproveitado o tempo com seus próprios filhos, às vezes até mesmo por falta de opção? Talvez. Ou quem sabe medo de a sociedade ser tomada por pessoas mimadas e sufocadas de amor por terem tido colo demais na infância (oi? é, parece estranho mas tem de tudo por aí né?)? Receio de a criança fazer manha SÓ pra ganhar colo? Faz algum sentido isso? Para alguns talvez faça, mas pra mim não faz. Não mais. Não hoje. Eu até já postei aqui outro texto sobre o assunto, isso tudo porque hoje considero primordial de certa forma “avisar” às mães iniciantes para que não dêem ouvidos a esse tipo de comentário. Tenho três filhos, e eles estão crescendo rápido. Dois deles não ficam muito tempo no meu colo, pois querem correr por aí. O mais novinho pede a cada minuto, um pouco de colo, ou de “teté” (sim, ele mama). Se eu fosse atender a seus requisitos todas as vezes eu não faria mais […]

Leia mais)

Aproveite de pertinho enquanto eles cabem no colo

joana scheer Em March 7th, 2017

Aproveite o amor de pertinho… Um dia, assim, do nada, ele vai parar de chamar pra dar o beijo e fechar a janela antes de dormir. Um dia assim… Do nada. Muitas vezes eu reclamo que não tenho tempo pra mim, que tem muito barulho em casa, que não posso isso, não dá pra fazer aquilo, e depois me culpo por não olhar as bênçãos que eu tenho a minha volta. Este lindo texto me ajuda a lembrar, e espero que ajude a você também. “Aproveite o amor de pertinho… Um dia, assim, do nada, ele vai parar de chamar pra dar o beijo e fechar a janela antes de dormir. Um dia assim… Do nada. Ele vai trancar a porta do banheiro pra tomar banho, vai estudar sozinho pra prova, vai receber a ligação de um amigo. Vai ligar o microondas e esquentar o próprio leite de manhã. Um dia, ele vai fazer um bolo pra você e a própria panqueca. E vai compreender, sem chorar ou reclamar, que não precisa de outra mochila pra começar o ano escolar. Ele vai parar de deixar todos os brinquedos espalhados pela casa… Porque não vai mais brincar tanto. Um dia, sem […]

Leia mais)

Criação com apego – minha experiência (ou falta dela)

joana scheer Em October 19th, 2016

Recentemente vi um texto fabuloso do Marcos Mion falando sobre criação com apego. Achei lindo, maravilhoso mesmo. Hoje em dia crio meus meninos assim mas nem sempre foi assim. O Mikael foi meu primeiro filho, e foi cobaia mesmo porque eu nunca tinha nem trocado uma fralda. Não me dava bem com crianças e elas não gostavam de mim. Sempre tive muito prazer em cuidar dele e queria fazer tudo certo pra que ele fosse feliz, seguro e incrível. Mika nasceu, e eu corri pra livros, fóruns, conselhos de pediatras e tudo mais. Fiz tudo o que me diziam pra fazer. Mika dormiu sozinho a noite toda quando tinha 3 meses, sempre teve saúde, teve refluxo (o que me dava nos nervos) e na hora de dormir eu dava boa noite carinhosamente dizendo que era hora de dormir. Eu o colocava no berço e saía. Ele chorava. Eu não atendia. Ia fazer outras coisas enquanto meu nenê chorava me chamando. Eu não sentia remorso ou culpa porque afinal de contas, é normal, mas ele acostuma logo. E assim foi. Em poucos dias ele dormia sozinho. Conforme o tempo foi passando, eu fui evoluindo como mãe, como ser humano, e aprendi […]

Leia mais)

Festa na escola do Gabriel e a mamãe só pra ele

joana scheer Em June 30th, 2016

Como é difícil ter um tempo só pra ele, e como isso me dói. Ele é tão seguro, tão independente, mas ao mesmo tempo tão pequeno, tão frágil. Meu passarinho Gabriel. Hoje foi um dia especial na escolinha do Gab, e eu fui. Ia levar toda a tropa mas não. Decidi me esforçar pra ter um tempo de mamãe e Gabriel, só nós dois. Pedi pra estender o tempo do Daniel na escolinha dele hoje e pedi à minha mãe que ficasse um pouco com o Mikael para que eu pudesse ter esse tempo. Não costumo fazer isso com frequência mas eu precisava, ele precisava. Como foi gostoso! Tão gostoso que esqueci de colocar o celular pra carregar e nem levei. Deixei de tirar fotos, de “snapchatear” mas os sentimentos nunca vão sair do meu coração e as imagens nunca deixarão a minha memória. Cheguei na escolinha e fiquei aguardando as apresentações de dança com os outros pais. Eles desceram as escadas, as crianças foram correndo pros seus pais e ele esticando o pescocinho procurando a mamãe que tinha prometido estar ali. Procurava, procurava e nada. De longe eu fui vendo aqueles olhinhos azuis se encherem de lágrimas. Então ele […]

Leia mais)

Filho Preferido por Erma Bombeck

joana scheer Em March 27th, 2016

Nós, mães temos um filho preferido? Amo meus três filhos da mesma forma, mas fato é que tem dias que eu acordo mais “apaixonada” por um, ou por outro. Nunca entendi o motivo, mas encontrei um texto lindo que consegue transmitr um pouco desse sentimento. O texto é de Emma Bombeck e foi retirado da internet. Certa vez perguntaram a uma mãe qual era seu filho preferido, aquele que ela mais amava. E ela, deixando entrever um sorriso, respondeu: “Nada é mais volúvel que um coração de mãe. E, como mãe, lhe respondo: o filho dileto, aquele a quem me dedico de corpo e alma… É o meu filho doente, até que sare. O que partiu, até que volte. O que está cansado, até que descanse. O que está com fome, até que se alimente. O que está com sede, até que beba. que está estudando, até que aprenda. O que está nu, até que se vista. O que não trabalha, até que se empregue. O que namora, até que se case. O que casa, até que conviva. O que é pai, até que os crie. O que prometeu, até que se cumpra. O que deve, até que pague. O que […]

Leia mais)

Saudades do filho do meio

joana scheer Em March 25th, 2016

Quando soube da gravidez do Daniel prometi a mim mesma que não permitiria que o Gabriel desenvolvesse a tal “síndrome do filho do meio”. Tenho muitos amigos e conhecidos que são filhos do meio e todos eles têm seus traumas, que na maioria das vezes não atrapalharam no seu desenvolvimento mas geraram sim uma dorzinha no peito que eu não quero que o Gab sinta. Mas, tem sido difícil. Ele ainda é um bebê, e muitas vezes preciso olhar aqueles olhos grandes me pedindo colo e dizer “agora não posso Gab”, ou “vou fazer o bebê dormir e já te pego tá?”, como é duro! Nunca cheguei a conversar com os pais desses amigos e me alivia ver que a maioria é bem sucedida hoje e faz piada desses pequenos traumas como aniversário junto, apanhar e ainda levar culpa, herdar a roupa do mais velho (que ganha as roupas novinhas que vão automaticamente pro irmão do meio depois, e estão surradas demais pra ir pro mais novo, que também acaba ganhando roupas novas), etc.. e nunca tinha pensado nisso, do porquê dessa “síndrome” existir. Só vivendo pra entender como é difícil. O mais velho entende um pouco mais, requisita um […]

Leia mais)

O que estamos fazendo com as nossas crianças?

joana scheer Em March 2nd, 2016

Somos parcialmente responsáveis pela formação de caráter de um ser humano, isso é muito sério! Quando nasce um filho precisamos abdicar de muitos dos nossos planos e desejos daquele momento, deixar de sair, deixar de dormir uma noite completa (o que em mim pelo menos tem efeitos desastrosos), comer comida gelada, tomar banho quando dá e às vezes ir dormir sem banho mesmo, entre muitas outras coisas. Algumas mães ou pais ainda precisam trabalhar fora e não conseguem dispensar a atenção que gostariam a seus filhos. Abdicar de tudo assim é muito difícil, e existem de fato pessoas que não conseguem. Deixam os filhos sempre com os avós pra sair pra balada, curtir a noitada. Outro pais preferem deixar seus filhos passarem seus dias com o Doki ou a Peppa na TV porque, afinal de contas, tem muita coisa pra fazer e não tem como deixar de fazer tudo pra brincar com os filhos. Pais que, pra tentar suprir essa falta –e pra aliviar o sentimento de culpa- enchem os filhos de coisas, presentes, roupas e brinquedos. Come um no sofá outro na mesa, um vendo TV e outro mexendo no celular, mas nunca conversando. Somos parcialmente responsáveis pela formação […]

Leia mais)

“A mamãe só está cansada” – por Aurea Gil

joana scheer Em February 22nd, 2016

Numa dessas, a mãe acordou. Deu um tapa na cabeça dela, falou num grito: “Fica quieta aí e senta!”. Ela chorou um pouquinho, lágrimas escorreram. Meu coração apertou. Tive vontade de fazer algo, mas achei que era muita invasão da vida alheia e fiquei quieta.   Na maternidade diversas vezes encontramos textos lindos que geram em nós ânimo pra mudar o que está ruim, alegria, emoção. Mas hoje eu li um que extravasou tudo o que eu já senti em textos assim. Um exemplo de como agir, uma prova de que o amor brota, multiplica e muda vidas gerando mais e mais amor. Me identifiquei sim com a mãe e me emocionei. Me emocionei porque num mundo onde apontar o dedo (como aqui por exemplo) ver uma atitude de amor assim emociona. A ala dos descontentes e das mães perfeitinhas sempre existiu e sempre vai existir, mas vou exercer meu direito de ignorá-la e deixar aqui pra vocês esse lindo texto de AUREA GIL.   “Finzinho da tarde, no ônibus, dois bancos à frente, uma menininha de cabelos cacheados sorri pra mim, muito meiga. Devia ter uns três anos de idade. Ao lado dela, sua mãe cochilava. Quando ela percebia que […]

Leia mais)

Mamães, vamos desabafar e nos ajudar mais?

joana scheer Em February 17th, 2016

“ah, a gente devia fazer um grupo de mães pra conversar, desabafar. Sempre que eu converso com outras mães me sinto melhor”… e não é que é assim mesmo? Eu sei eu sei, estou ausente… muita coisa rolando e muita novidade chegando 🙂 Bom, Mikael mudou de escola por conta da idade e por ser pertinho de casa vamos andando todos os dias. Umas três vezes encontramos com outras mães que moram no mesmo condomínio que a gente e fomos conversando durante todo o percurso. Hoje ao levar o Gabriel na escola também bati um papo com a diretora –que também é mãe- e ela soltou “ah, a gente devia fazer um grupo de mães pra conversar, desabafar. Sempre que eu converso com outras mães me sinto melhor”… e não é que é assim mesmo? Eu vivo choramingando pra meus amigos mais íntimos como me sinto pequena e insegura como mãe. Como parece que eu faço tudo errado quando eles dão xilique. Me questiono dia e noite e por muitas vezes termino o dia frustrada e me sentindo culpada por não ter sido perfeita boa o suficiente. Não existe essa de perfeição, blá blá blá, mas não adianta, esse é […]

Leia mais)

Um tempo só meu

joana scheer Em January 30th, 2016

[…]Pra um ser humano que nasce egocêntrico abrir mão da individualidade não é fácil[…]   Depois de quase 4 anos tive um tempo pra mim, só pra mim. Deixei o Daniel com uma amiga, Mika e Gab ficaram dormindo em casa com a vovó e eu fui ao cinema. Assisti o novo filme da saga Star Wars. O filme me surpreendeu e me prendeu do início ao fim, mas e o tempo sozinha, como foi?   Na verdade foi uma mistura de sentimentos. Fiquei fora durante umas 4 horas. Foi maravilhoso não me preocupar com um bebê chorando no banco de trás do carro sempre que eu precisava esperar o farol abrir, poder estacionar o carro, descer dele e trancá-lo levando apenas alguns segundos e sem ter que mexer no porta malas pra tirar malas e carrinho. Pegar a escada rolante do shopping e não ficar me preocupando em procurar elevador pra subir com o trambolho carrinho de bebê. Poder ir ao banheiro depois do filme e fazer um longo xixi sem precisar me equilibrar com um bebê no colo. E assistir um ótimo filme do início ao fim, quase sem piscar, sem interrupções… simplesmente indescritível. Por outro lado eu […]

Leia mais)

Como ser mãe me fez ter mais compaixão

joana scheer Em December 30th, 2015

Ver o mundo com olhos de mãe faz dele um lugar melhor. Todo ser humano parece ter a síndrome do juiz. Todo mundo se acha no direito de julgar e apontar o dedo pro outro, esquecendo dos próprios erros e defeitos. Eu também já fui assim. Eu já disse em outros posts que eu era daquelas que achava o cúmulo do absurdo uma criança se jogar no chão do mercado por causa de uma barra de chocolates ou parar o shopping por causa de um brinquedo. “Meu filho nunca vai fazer isso”, cansei de dizer. Não preciso nem comentar que paguei a língua, né? Hoje em dia isso não acontece, Mika e Gab passaram dessa fase e hoje eu consigo conversar com eles embora as outras pessoas tenham certa dificuldade em lidar com os pequerruchos. Mas o Dani ainda é pequeno, vai chegar nessa fase então provavelmente ainda vou vivê-la algumas vezes. Hoje eu sinto compaixão quando vejo uma mãezinha envergonhada com seu filho escandaloso. Me sinto assim por já ter passado por isso, por já ter pensado o que pensei e por saber como ela se sente. Basicamente me coloco no lugar dela. E isso acontece em diversas outras […]

Leia mais)

Desabafo – Como é ser mãe

joana scheer Em December 26th, 2015

A gente ama os filhos mas tem dias em que estamos mais apaixonadas do que o normal. Hoje é um dia desses pra mim e eu não poderia deixar de registrá-lo com um desabafo. Uma vez ouvi a expressão: “as mães são a expressão do amor de Deus na terra”. Acho que nunca ouvi nada que definisse melhor o que eu sinto pelos meus filhos. Uma profunda decepção quando se comportam mal, mas o amor permanece. Um riso e sentimento de orgulho com as mais simples conquistas como uma nova música aprendida, quando aprendem a bater palminhas ou quando nasce um dente novo. Os primeiros passos, o primeiro pulinho, a primeira palavra, o primeiro cocô na privada, a primeira papinha. É um amor que transborda, que transcende tudo o que existe em matéria de sentimento. A motivação pra ser alguém melhor a cada dia ou pelo menos buscar por isso. Se você não liga pra sua saúde, vai começar a ligar e instintivamente se cuidar melhor pra que esteja lá quando seus pequenos precisarem. Se não tem medo de morrer vai começar a ter. Se não é apegado a ninguém, agora vai ser. Se não acredita em Deus vai ser […]

Leia mais)

Carta de uma mamãe de recém nascido ao seu marido

joana scheer Em September 22nd, 2015

 A gestação traz alegria, muita alegria. Mas com essa alegria vem o medo. Medo de ser uma mãe ruim, medo de desapontar o marido, medo de não corresponder às expectativas (da família, amigos, marido e as dela mesma). Eu sentia tanta coisa, chorava do nada, parecia uma louca mas dificilmente dizia o que sentia pro meu marido. Eu mesma não entendia direito o que eu estava sentindo naquele momento e foi difícil pra mim lidar com tudo, principalmente comigo mesma. Se meu marido tivesse entendido como eu estava me sentindo naquele momento tão delicado provavelmente teria me ajudado mais e teríamos discutido menos. Escrevi uma cartinha com tudo o que eu gostaria de ter dito ao meu marido quando meus filhos nasceram. Acredito que muitas mamães vão se identificar.   Amor… quando eu chegar da maternidade estarei com medo, mesmo que já tenha sido mãe antes. Por favor compreenda e me acalme quando eu pirar. Diga que vai dar tudo certo mesmo que você também esteja com medo. Prometo te fortalecer quando você estiver inseguro mas por favor me ajude agora. Eu vou chorar mesmo que eu esteja feliz. Meus hormônios estão bagunçados dentro de mim e tudo o que você pode fazer neste […]

Leia mais)

Sobre como é ter três bebês pequenos ao mesmo tempo

joana scheer Em September 16th, 2015

  Muita gente me pergunta como eu consigo lidar com três filhos pequenos ao mesmo tempo principalmente quando se trata de um na fase de ansiedade de separação, um “terrible two” e um “threenager” juntos! Vou falar um pouco sobre isso hoje. Não sei o que as pessoas imaginam, mas pela intensidade dos comentários que ouço penso que a maioria imagina uma guerra dentro de casa, o caos instalado. E é mais ou menos isso mesmo, mas é assim na maioria das casas com pelo menos um filho, então a diferença não é muita. Minha casa nunca está arrumada. Tem sempre algum brinquedo em todos os lugares da casa, principalmente atrás e debaixo dos sofás e poltronas. É difícil sair com todos ao mesmo tempo quando meu marido não está. É possível, mas difícil e todo um planejamento é necessário antes de sair, de preferência no dia anterior. O Gabriel que tem 2 anos está na fase de teimosia sem argumentos, então quando dá na telha faz birra e se joga no chão, o que pra mim na verdade não é um grande problema mas com um bebê de 6 meses no colo dificulta um pouco a vida. Com o de […]

Leia mais)