Você está acostumando mal ele no colo… Oi?

joana scheer Em June 19th, 2017

Num passado não muito distante, eu mesma pensava que dar muito colo acostumava mal, o bebê ficava mimado, e por aí vai. Tempo, e experiência depois parei pra pensar o PORQUÊ desse pensamento. Inveja por não ter aproveitado o tempo com seus próprios filhos, às vezes até mesmo por falta de opção? Talvez. Ou quem sabe medo de a sociedade ser tomada por pessoas mimadas e sufocadas de amor por terem tido colo demais na infância (oi? é, parece estranho mas tem de tudo por aí né?)? Receio de a criança fazer manha SÓ pra ganhar colo? Faz algum sentido isso? Para alguns talvez faça, mas pra mim não faz. Não mais. Não hoje. Eu até já postei aqui outro texto sobre o assunto, isso tudo porque hoje considero primordial de certa forma “avisar” às mães iniciantes para que não dêem ouvidos a esse tipo de comentário. Tenho três filhos, e eles estão crescendo rápido. Dois deles não ficam muito tempo no meu colo, pois querem correr por aí. O mais novinho pede a cada minuto, um pouco de colo, ou de “teté” (sim, ele mama). Se eu fosse atender a seus requisitos todas as vezes eu não faria mais […]

Leia mais)

Criação com apego – minha experiência (ou falta dela)

joana scheer Em October 19th, 2016

Recentemente vi um texto fabuloso do Marcos Mion falando sobre criação com apego. Achei lindo, maravilhoso mesmo. Hoje em dia crio meus meninos assim mas nem sempre foi assim. O Mikael foi meu primeiro filho, e foi cobaia mesmo porque eu nunca tinha nem trocado uma fralda. Não me dava bem com crianças e elas não gostavam de mim. Sempre tive muito prazer em cuidar dele e queria fazer tudo certo pra que ele fosse feliz, seguro e incrível. Mika nasceu, e eu corri pra livros, fóruns, conselhos de pediatras e tudo mais. Fiz tudo o que me diziam pra fazer. Mika dormiu sozinho a noite toda quando tinha 3 meses, sempre teve saúde, teve refluxo (o que me dava nos nervos) e na hora de dormir eu dava boa noite carinhosamente dizendo que era hora de dormir. Eu o colocava no berço e saía. Ele chorava. Eu não atendia. Ia fazer outras coisas enquanto meu nenê chorava me chamando. Eu não sentia remorso ou culpa porque afinal de contas, é normal, mas ele acostuma logo. E assim foi. Em poucos dias ele dormia sozinho. Conforme o tempo foi passando, eu fui evoluindo como mãe, como ser humano, e aprendi […]

Leia mais)