Você está acostumando mal ele no colo… Oi?

joana scheer Em June 19th, 2017

Num passado não muito distante, eu mesma pensava que dar muito colo acostumava mal, o bebê ficava mimado, e por aí vai. Tempo, e experiência depois parei pra pensar o PORQUÊ desse pensamento. Inveja por não ter aproveitado o tempo com seus próprios filhos, às vezes até mesmo por falta de opção? Talvez. Ou quem sabe medo de a sociedade ser tomada por pessoas mimadas e sufocadas de amor por terem tido colo demais na infância (oi? é, parece estranho mas tem de tudo por aí né?)? Receio de a criança fazer manha SÓ pra ganhar colo? Faz algum sentido isso? Para alguns talvez faça, mas pra mim não faz. Não mais. Não hoje. Eu até já postei aqui outro texto sobre o assunto, isso tudo porque hoje considero primordial de certa forma “avisar” às mães iniciantes para que não dêem ouvidos a esse tipo de comentário. Tenho três filhos, e eles estão crescendo rápido. Dois deles não ficam muito tempo no meu colo, pois querem correr por aí. O mais novinho pede a cada minuto, um pouco de colo, ou de “teté” (sim, ele mama). Se eu fosse atender a seus requisitos todas as vezes eu não faria mais […]

Leia mais)

Fraldário acessível para todos em São Paulo!

joana scheer Em May 3rd, 2017

Eu cansei de ir em estabelecimentos com meus bebês e ficar com cara de alface na hora de trocar a fralda deles. Cadê o fraldário? Perdi a conta de quantas vezes me virei nos trinta pra trocar a fralda deles. Mika e Gab já desfraldaram, mas o Dani embora ainda use como já é grandinho eu troco de pé mesmo. Mas quando eles eram pequenininhos diversas vezes tive que trocar a fralda deles no meu colo mesmo, de cócoras no chão do banheiro porque não tinha lugar nenhum pra trocar a fraldinha deles. Constrangedor e desconfortável pra dizer o mínimo. Simplesmente não me sentia bem-vinda em lugares sem fraldário. Pensava tipo “será que eles em momento nenhum pensaram que pais com bebês poderia vir comer aqui? Será que não pode bebê aqui?” O pessoal do Guia Fora da Casinha pesquisou por locais que já oferecem fraldário – um componente imprescindível para a acessibilidade das famílias com bebês – nos estabelecimentos de São Paulo. O projeto de lei para que o espaço seja obrigatório e acessível a todos ainda tramita na Câmara Federal. Trata-se da Lei 2216/15, do deputado Marcelo Belinati (PP-PR), que estabelece a exigência de fraldário acessível em edifícios, […]

Leia mais)

Por que trocamos os nomes dos nossos filhos?

joana scheer Em March 12th, 2017

Uma memória impressionante que tenho da minha mãe é o fato de que ela nunca me chamava pelo nome certo. Sempre que ela precisava de algo de uma de nós, ela acabava gritando os nomes das três filhas – e às vezes o nome de alguma de irmãs dela também. Acabava saindo uma mistura de sílabas que se juntavam formando palavras aleatórias, era sempre assim. Como criança, sendo aquela que ela sempre costumava chamar (sim, complexo de filha mais velha), eu costumava rir da aparente incapacidade dela de acertar os nomes. Quer dizer, ela foi quem ESCOLHEU nossos nomes, certo? É realmente tão difícil decorá-los? Bom, eu zoava com ela até ter meus próprios filhos. Naquele ponto, eu tinha atingido a meta continuando a tradição de bagunçar com os nomes de todos os meus filhos. Então, por que fazemos isso? Bom, isso acontece somente porque somos mães boas pra caramba que amamos nossos filhos. Não acredita em mim? Finalmente existe uma prova científica disso. Um compilado de 2016 sobre memória e reconhecimento estudou o fenômeno de troca de nomes (em inglês) com 5 estudos incluindo mais de 1700 participantes. Os participantes do estudo eram frequentemente chamados pelos nomes errados pelas […]

Leia mais)

Criação com apego – minha experiência (ou falta dela)

joana scheer Em October 19th, 2016

Recentemente vi um texto fabuloso do Marcos Mion falando sobre criação com apego. Achei lindo, maravilhoso mesmo. Hoje em dia crio meus meninos assim mas nem sempre foi assim. O Mikael foi meu primeiro filho, e foi cobaia mesmo porque eu nunca tinha nem trocado uma fralda. Não me dava bem com crianças e elas não gostavam de mim. Sempre tive muito prazer em cuidar dele e queria fazer tudo certo pra que ele fosse feliz, seguro e incrível. Mika nasceu, e eu corri pra livros, fóruns, conselhos de pediatras e tudo mais. Fiz tudo o que me diziam pra fazer. Mika dormiu sozinho a noite toda quando tinha 3 meses, sempre teve saúde, teve refluxo (o que me dava nos nervos) e na hora de dormir eu dava boa noite carinhosamente dizendo que era hora de dormir. Eu o colocava no berço e saía. Ele chorava. Eu não atendia. Ia fazer outras coisas enquanto meu nenê chorava me chamando. Eu não sentia remorso ou culpa porque afinal de contas, é normal, mas ele acostuma logo. E assim foi. Em poucos dias ele dormia sozinho. Conforme o tempo foi passando, eu fui evoluindo como mãe, como ser humano, e aprendi […]

Leia mais)

6 fotos de seu filho que você deve TIRAR da internet IMEDIATAMENTE

joana scheer Em September 25th, 2016

Todo mundo gosta de tirar foto dos filhos né? Eu mesma tenho centenas de fotos de meus filhos e praticamente nenhuma minha, acho que isso vem no pacote maternidade/paternidade não é mesmo? Eu posto fotos deles no Snapchat, Instagram, Facebook e até aqui no blog. Mas sempre tomo muito cuidado na escolha dessas fotos. Gosto de acreditar que a maioria das pessoas ainda é boa, mas infelizmente não podemos viver apoiados neste pensamento, precisamos cuidar da segurança e integridade de nossos pequenos. Tem muita gente ruim por aí e a internet é uma porta pro mundo. Hoje vou listar aqui seis tipos de fotos de seus filhos que você deve tirar da internet já. (eu pessoalmente nem clico esse tipo de foto pra não ter perigo, sou meio neurótica com essas coisas). Foto de crianças/bebês com roupas íntimas ou nuas. Para as pessoas no geral este é o tipo de foto clássica, fofa e na realidade a maioria das pessoas não vê maldade em fotos assim. Mas pedófilos são reais e buscam por essas fotos para saciar seu prazer doentio além de utilizá-las em seus sites alimentando o desejo imundo de vários deles. Fotografias com a criança vestida com o […]

Leia mais)

Alergia respiratória no bebê, tudo o que você gostaria de saber

joana scheer Em August 23rd, 2016

Julho foi um verdadeiro pesadelo. Do início ao fim com uma internação e um ciclo infinito de gripes, crises de alergia respiratória e “viroses”. Quase enlouqueci. Na última consulta do Daniel na pediatra ela recomendou consultarmos com um pneumologista, e assim eu fiz. AVISO: Este post não é uma consulta médica, até porque nem médica eu sou. Sou uma mãe que consultou o filho com o especialista e aqui relato o que me foi passado. Cada criança tem um corpo e reações diferentes, portanto jamais medique seu filho sem antes falar com o médico. Se você medicar seu filho por conta própria e der ruim a responsa é toda sua, tá? Simbora! Como perdemos o plano de saúde recentemente fui atrás de um grupo de médicos a preços mais acessíveis, o Dr. Consulta. Marquei consulta pelo chat no site deles e fomos no dia seguinte. A médica em si foi sensacional. Perguntou de todo o histórico do Daniel desde o nascimento, examinou de cabo a rabo, explicou todo o funcionamento do trato respiratório e como e porquê as crises alérgicas se desencadeiam. Passou alguns exames pra fazermos nos próximos meses e uma receita pra usar toda vez que ele tiver […]

Leia mais)

Daniel internado com pneumonia e a reflexão que isso me trouxe

joana scheer Em July 25th, 2016

Todos os meus meninos já estiveram gripados diversas vezes, umas gripes mais leves, outras mais graves. Já tive que levar no pronto socorro e era sempre a mesma coisa. Inalações, raio x e voltávamos pra casa. Algumas vezes eu ia “à toa” e os médicos sempre me diziam a mesma coisa… Só venha ao pronto socorro se a febre durar mais de dois dias ou se ele estiver cansado (“puxando costela” pra respirar). Pois bem, eu segui assim até desta última vez com o Daniel. Uma gripe comum que foi se agravando e se transformou numa broncopneumonia. Levei ao pronto socorro e com uma saturação de 94 voltamos pra casa e fizemos aqui o tratamento. Depois de 10 dias ele estava ótimo, mas logo a febre e o cansaço acompanhado da tosse voltaram. Levei novamente e constatamos que mesmo após todo o tratamento a pneumonia ainda estava lá. Com uma saturação de 88 Daniel foi internado. Pra mim aquilo foi um choque! Primeiro porque pela primeira vez estávamos à mercê da saúde pública já que perdemos o convênio médico com toda essa crise. Depois porque fomos de uma UPA a um hospital de ambulância. Parecia tudo tão grave… mas ele […]

Leia mais)

Estamos exigindo demais, crianças precisam brincar!

joana scheer Em July 7th, 2016

Recentemente fui à reunião final do semestre na escola do meu filho e é absurda a insistência dos pais para que as crianças saiam de lá alfabetizadas, tenham lição de casa, etc. Meus filhos estudavam em escola particular e quando o bolso apertou tive que abrir mão disso, e tive medo. Lá eles tinham aulas de inglês, música, educação física, artes e levavam lição de casa. Na escola pública vi algo totalmente diferente, que na verdade me encantou. O brincar! Leia aqui a saga da mudança da escola particular para a púbica Quero deixar claro aqui que estou falando da educação infantil, não de ensino fundamental ou médio. Lá as crianças têm duas refeições em meio período (boas refeições), aprendem a cozinhar e trazem a receita pra casa, brincam no parque, correm, cavam na areia, vão ao banheiro sozinhas, se servem sozinhas num buffet, como em restaurantes self-service sabe? Só que em escala “mini”, rs, e escovam seus próprios dentes. Recortam, colam, ouvem histórias, desenham, pintam, reciclam fazendo brinquedos, mexem no computador uma vez por semana, etc, etc. Brincam, muito. Pega-pega, esconde-esconde, fazem montagem com blocos. Não tem pontilhado, não tem apostila, não tem lista de material. Isso assustou boa […]

Leia mais)

Festa na escola do Gabriel e a mamãe só pra ele

joana scheer Em June 30th, 2016

Como é difícil ter um tempo só pra ele, e como isso me dói. Ele é tão seguro, tão independente, mas ao mesmo tempo tão pequeno, tão frágil. Meu passarinho Gabriel. Hoje foi um dia especial na escolinha do Gab, e eu fui. Ia levar toda a tropa mas não. Decidi me esforçar pra ter um tempo de mamãe e Gabriel, só nós dois. Pedi pra estender o tempo do Daniel na escolinha dele hoje e pedi à minha mãe que ficasse um pouco com o Mikael para que eu pudesse ter esse tempo. Não costumo fazer isso com frequência mas eu precisava, ele precisava. Como foi gostoso! Tão gostoso que esqueci de colocar o celular pra carregar e nem levei. Deixei de tirar fotos, de “snapchatear” mas os sentimentos nunca vão sair do meu coração e as imagens nunca deixarão a minha memória. Cheguei na escolinha e fiquei aguardando as apresentações de dança com os outros pais. Eles desceram as escadas, as crianças foram correndo pros seus pais e ele esticando o pescocinho procurando a mamãe que tinha prometido estar ali. Procurava, procurava e nada. De longe eu fui vendo aqueles olhinhos azuis se encherem de lágrimas. Então ele […]

Leia mais)

Mordida na escola e a relação com a ausência do pai

joana scheer Em April 11th, 2016

É difícil pra mim às vezes escrever no blog porque na maioria das vezes nossos desafios no núcleo familiar envolvem um assunto em particular que eu –ainda- não vou expor aqui. Mas enfim… fomos novamente chamados à escola pra conversar com a família de um menino em particular que o Mikael resolveu morder. Sabe aquela fase da criança em que ela se expressa e se defende mordendo? Pois bem, o Mikael nunca fez isso. Ele nunca foi uma criança que morde, ao contrário do Gabriel que mordeu bastante e que está naturalmente deixando essa fase para trás. Na idade dele (4 anos) a mordida é a mais alta patente de agressão. É o mais do mais, a maior agressão que uma criança pode exercer sobre outra. Mas, por que? É sempre o mesmo menino… sempre por um motivo “bobinho” como correr na frente, jogar a tampa da garrafinha longe. E é um menino que o Mikael gosta. É amiguinho mesmo dele. Em alguns episódios anteriores, antes de eu expor a situação para a Luciana, a professora dele me dizia sempre que o pai desse menino que sempre o leva e o busca brigava e queria até armar barraco com a […]

Leia mais)

Filho Preferido por Erma Bombeck

joana scheer Em March 27th, 2016

Nós, mães temos um filho preferido? Amo meus três filhos da mesma forma, mas fato é que tem dias que eu acordo mais “apaixonada” por um, ou por outro. Nunca entendi o motivo, mas encontrei um texto lindo que consegue transmitr um pouco desse sentimento. O texto é de Emma Bombeck e foi retirado da internet. Certa vez perguntaram a uma mãe qual era seu filho preferido, aquele que ela mais amava. E ela, deixando entrever um sorriso, respondeu: “Nada é mais volúvel que um coração de mãe. E, como mãe, lhe respondo: o filho dileto, aquele a quem me dedico de corpo e alma… É o meu filho doente, até que sare. O que partiu, até que volte. O que está cansado, até que descanse. O que está com fome, até que se alimente. O que está com sede, até que beba. que está estudando, até que aprenda. O que está nu, até que se vista. O que não trabalha, até que se empregue. O que namora, até que se case. O que casa, até que conviva. O que é pai, até que os crie. O que prometeu, até que se cumpra. O que deve, até que pague. O que […]

Leia mais)

O que estamos fazendo com as nossas crianças?

joana scheer Em March 2nd, 2016

Somos parcialmente responsáveis pela formação de caráter de um ser humano, isso é muito sério! Quando nasce um filho precisamos abdicar de muitos dos nossos planos e desejos daquele momento, deixar de sair, deixar de dormir uma noite completa (o que em mim pelo menos tem efeitos desastrosos), comer comida gelada, tomar banho quando dá e às vezes ir dormir sem banho mesmo, entre muitas outras coisas. Algumas mães ou pais ainda precisam trabalhar fora e não conseguem dispensar a atenção que gostariam a seus filhos. Abdicar de tudo assim é muito difícil, e existem de fato pessoas que não conseguem. Deixam os filhos sempre com os avós pra sair pra balada, curtir a noitada. Outro pais preferem deixar seus filhos passarem seus dias com o Doki ou a Peppa na TV porque, afinal de contas, tem muita coisa pra fazer e não tem como deixar de fazer tudo pra brincar com os filhos. Pais que, pra tentar suprir essa falta –e pra aliviar o sentimento de culpa- enchem os filhos de coisas, presentes, roupas e brinquedos. Come um no sofá outro na mesa, um vendo TV e outro mexendo no celular, mas nunca conversando. Somos parcialmente responsáveis pela formação […]

Leia mais)

“A mamãe só está cansada” – por Aurea Gil

joana scheer Em February 22nd, 2016

Numa dessas, a mãe acordou. Deu um tapa na cabeça dela, falou num grito: “Fica quieta aí e senta!”. Ela chorou um pouquinho, lágrimas escorreram. Meu coração apertou. Tive vontade de fazer algo, mas achei que era muita invasão da vida alheia e fiquei quieta.   Na maternidade diversas vezes encontramos textos lindos que geram em nós ânimo pra mudar o que está ruim, alegria, emoção. Mas hoje eu li um que extravasou tudo o que eu já senti em textos assim. Um exemplo de como agir, uma prova de que o amor brota, multiplica e muda vidas gerando mais e mais amor. Me identifiquei sim com a mãe e me emocionei. Me emocionei porque num mundo onde apontar o dedo (como aqui por exemplo) ver uma atitude de amor assim emociona. A ala dos descontentes e das mães perfeitinhas sempre existiu e sempre vai existir, mas vou exercer meu direito de ignorá-la e deixar aqui pra vocês esse lindo texto de AUREA GIL.   “Finzinho da tarde, no ônibus, dois bancos à frente, uma menininha de cabelos cacheados sorri pra mim, muito meiga. Devia ter uns três anos de idade. Ao lado dela, sua mãe cochilava. Quando ela percebia que […]

Leia mais)

Mamães, vamos desabafar e nos ajudar mais?

joana scheer Em February 17th, 2016

“ah, a gente devia fazer um grupo de mães pra conversar, desabafar. Sempre que eu converso com outras mães me sinto melhor”… e não é que é assim mesmo? Eu sei eu sei, estou ausente… muita coisa rolando e muita novidade chegando 🙂 Bom, Mikael mudou de escola por conta da idade e por ser pertinho de casa vamos andando todos os dias. Umas três vezes encontramos com outras mães que moram no mesmo condomínio que a gente e fomos conversando durante todo o percurso. Hoje ao levar o Gabriel na escola também bati um papo com a diretora –que também é mãe- e ela soltou “ah, a gente devia fazer um grupo de mães pra conversar, desabafar. Sempre que eu converso com outras mães me sinto melhor”… e não é que é assim mesmo? Eu vivo choramingando pra meus amigos mais íntimos como me sinto pequena e insegura como mãe. Como parece que eu faço tudo errado quando eles dão xilique. Me questiono dia e noite e por muitas vezes termino o dia frustrada e me sentindo culpada por não ter sido perfeita boa o suficiente. Não existe essa de perfeição, blá blá blá, mas não adianta, esse é […]

Leia mais)

Um tempo só meu

joana scheer Em January 30th, 2016

[…]Pra um ser humano que nasce egocêntrico abrir mão da individualidade não é fácil[…]   Depois de quase 4 anos tive um tempo pra mim, só pra mim. Deixei o Daniel com uma amiga, Mika e Gab ficaram dormindo em casa com a vovó e eu fui ao cinema. Assisti o novo filme da saga Star Wars. O filme me surpreendeu e me prendeu do início ao fim, mas e o tempo sozinha, como foi?   Na verdade foi uma mistura de sentimentos. Fiquei fora durante umas 4 horas. Foi maravilhoso não me preocupar com um bebê chorando no banco de trás do carro sempre que eu precisava esperar o farol abrir, poder estacionar o carro, descer dele e trancá-lo levando apenas alguns segundos e sem ter que mexer no porta malas pra tirar malas e carrinho. Pegar a escada rolante do shopping e não ficar me preocupando em procurar elevador pra subir com o trambolho carrinho de bebê. Poder ir ao banheiro depois do filme e fazer um longo xixi sem precisar me equilibrar com um bebê no colo. E assistir um ótimo filme do início ao fim, quase sem piscar, sem interrupções… simplesmente indescritível. Por outro lado eu […]

Leia mais)

10 dicas para lidar com crianças difíceis

joana scheer Em January 8th, 2016

Sabe aquela criança linda que você olha e logo pensa. “Nossa, que criança linda, como desliga?”. São os meus. Meus filhos são muito bonzinhos, mas quando preciso sair é uma luta épica encontrar alguém que fique com eles pra mim, ninguém encara. Não porque eles sejam malvados ou pestinhas, mas eles são sim difíceis de lidar. Sabe aquela criança linda que você olha e logo pensa. “Nossa, que criança linda, como desliga?”. São os meus. Elétricos, não param um minuto sequer. E se não sentem firmeza desde o início fazem você de gato e sapato. Quando estão comigo não tem birra em shopping/mercado, eles não saem correndo pro meio da rua (embora eu procure não arriscar) dificilmente agridem amiguinhos ou um ao outro e se comportam bem, mas basta outra pessoa “ficar à frente” e pronto, é teste atrás de teste até a pessoa “provar o seu valor” hahaha. Sei que os meus não são os únicos e hoje reuni aqui algumas dicas de como lidar com crianças difíceis. Firmeza. Ser firme não é ser grosseiro, mas o tom de voz é fundamental. Um tom alto (não gritando, óbvio) e seguro basta. Tente e verá. Postura Parece brincadeira mas não […]

Leia mais)

Como ser mãe me fez ter mais compaixão

joana scheer Em December 30th, 2015

Ver o mundo com olhos de mãe faz dele um lugar melhor. Todo ser humano parece ter a síndrome do juiz. Todo mundo se acha no direito de julgar e apontar o dedo pro outro, esquecendo dos próprios erros e defeitos. Eu também já fui assim. Eu já disse em outros posts que eu era daquelas que achava o cúmulo do absurdo uma criança se jogar no chão do mercado por causa de uma barra de chocolates ou parar o shopping por causa de um brinquedo. “Meu filho nunca vai fazer isso”, cansei de dizer. Não preciso nem comentar que paguei a língua, né? Hoje em dia isso não acontece, Mika e Gab passaram dessa fase e hoje eu consigo conversar com eles embora as outras pessoas tenham certa dificuldade em lidar com os pequerruchos. Mas o Dani ainda é pequeno, vai chegar nessa fase então provavelmente ainda vou vivê-la algumas vezes. Hoje eu sinto compaixão quando vejo uma mãezinha envergonhada com seu filho escandaloso. Me sinto assim por já ter passado por isso, por já ter pensado o que pensei e por saber como ela se sente. Basicamente me coloco no lugar dela. E isso acontece em diversas outras […]

Leia mais)

Cap. 2 – Da escola particular para a pública. Como foi até aqui

joana scheer Em December 23rd, 2015

O mikael faz 4 anos em março e com isso vai ter que mudar de escola de novo. Isso sempre me traz apreensão, mas acho que faz parte da maternidade ter medo de coisas novas, de qualquer coisa que possa interferir na vida dos nossos filhos, né? Como foram esses meses de escola pública? Vou contar tudo até aqui. Não existe castigo ou “cantinho do pensamento”, é tudo na conversa. Todos os dias o Mikael vem pra casa com uma música nova que aprendeu na escola. Algumas eu não gosto (boi da cara preta, atirei o pau no gato e cuca) e outras são lindas e doces. De qualquer maneira é delicioso vê-lo cantarolar pela casa enquanto se troca ou brinca. O Mikael foi transferido automaticamente pra uma escola super perto de casa, eles me ligaram marcando e eu só tive que ir lá fazer a matrícula. Pronto. Facílimo de resolver. Recentemente preenchi uma fichinha com a numeração de roupa do Mika pros uniformes da nova escola, fácil assim. Recebemos leite em casa, de ótima qualidade. E não é pouco não. Eles gostam da escolinha, Gab chorou algumas vezes na entrada mas quando eu descia da sala do Mika ele […]

Leia mais)

Bebê chegando! Como agir com o filho mais velho?

joana scheer Em December 18th, 2015

Quando eu tive bebê,  o primeiro sentimento não foi amor, mas sim medo! Medo de lidar com um bebê tão pequeno, de não saber cuidar, de ser uma mãe ruim, etc, etc. Quando nasce o segundo outros medos se juntam aos primeiros, que pelo menos pra mim aconteceram em todas as “gravidezes”. Será que eu vou dar conta de dois? Será que o mais velho vai ter ciúmes? Será, será, será!? Com base na minha experiência fiz uma lista de pequenas atitudes que podem ajudar nesse momento difícil. “Quando nasce o segundo filho outros medos se juntam aos primeiros…” 1 – Não cobre ajuda, mas deixe-o ajudar se quiser. Vejo muita criança que perde a infância cuidando dos irmãos e isso me entristece muito. Tenho uma amiga que perdeu o marido assim que a filhinha nasceu e precisou trabalhar e se virar pra sustentar 3 filhos sozinha. Cuidar da mais nova acabou se tornando responsabilidade da filha mais velha, na época uma criança também. Aí é diferente, ela não teve escolha. Mas vejo muitos casos de pais que deixam os mais novos com os mais velhos sempre, e sem necessidade. Aí é complicado. A responsabilidade é dos pais, nunca dos […]

Leia mais)

Visita ao novo bebê. Como agir com o filho mais velho?

joana scheer Em December 18th, 2015

Eu tenho três filhos. Quando o Daniel nasceu tive a ideia de dar aos outros dois um presente supostamente dado pelo Dani. Fiz isso também para evitar ciúmes, mas principalmente para que eles se sentissem especiais também, já que as atenções estavam todas voltadas pro novo bebê. Quando o bebê nasce é aquela festa! Visitas, presentes, todo mundo fala no bebê e muitas vezes o (ou no meu caso, os) mais velho fica “de lado” por uns dias. Quando o segundo filho é pequeno também, não tem capacidade ainda pra entender que ele é amado e que todo esse auê vai passar, e isso pode ferir os sentimentos dessa criança trazendo o sentimento de abandono. Aqui reuni algumas dicas de como agir com o filho mais velho durante a visita ao novo bebê. 1 – Cumprimente o mais velho primeiro. Transmita a ele a sua alegria em vê-lo. 2 –  Entenda se houver birra. O filho mais velho está se sentindo intimidado com a chegada do bebê e muitos têm medo de abandono. Com isso, vai fazer o possível pra chamar a tenção. 3 – Não compare os dois em nada. 4 – Elogie o mais velho. “Olha que lindo […]

Leia mais)

Escolhas. Eu gosto, ele não

joana scheer Em December 15th, 2015

Será mesmo necessário mostrar desapontamento se você torce pro São Paulo e seu filho escolhe ser Corintiano? Escolhas diferentes são mesmo tão importantes? Eu me amarro em “sagas nerd” como Star Wars por exemplo. Ainda estou na sofrência porque não vou poder ver o filme na pré estréia por causa do horário. Pensei até em me vestir de Stormtrooper e levar o Dani com orelhas de Yoda… mas tudo bem, fica pra próxima. Enfim… quando gostamos de alguma coisa automaticamente já imaginamos nossos filhos curtindo a mesma coisa, fazendo parte daquilo contigo. No dia das crianças mesmo eu confesso que tentei convencer o Mikael de comprar um dinossauro de brinquedo porque EU sou fã de Jurassic Park e enlouqueci com o novo filme. Mas ainda assim ele preferiu os robôs de sempre (que eu também gosto por sinal, hehe). O ponto é que muitas vezes os pais expressam uma insatisfação enorme quando os filhos não compartilham dos seus gostos. Eu mesma já tentei fazê-lo desgostar do homem aranha porque EU não gosto. Até que ponto isso é saudável? Eu sou diferente dos meus pais, tenho meus próprios gostos, vontades e fiz minhas próprias escolhas. Acho importante que as crianças se sintam […]

Leia mais)

Champagne para crianças?

joana scheer Em December 11th, 2015

Quero deixar claro que este post expressa a minha opinião sobre o assunto. É permitido pensar diferente e se expressar nos comentários, sempre com respeito é claro. Além disso esse negócio de champagne pra criança (que nada mais é do que um refrigerante com uma rolha) é simplesmente mais uma jogada de marketing pra fazer você torrar todo o seu dinheiro comprando coisas desnecessárias. É mais um produto pra atrair nossos filhos na fila do mercado, afinal… quem não quer uma garrafinha super maneira com a cara do batman estampada, até eu quero! São só R$6,00, pouquinho.   “Na hora da virada além dos fogos e abraços, o brinde com champagne é indispensável. E nessa hora a criançada acaba ficando um pouco deslocada, ou melhor, ficava! É que a Cereser trouxe para o Brasil uma espécie de champagne sem álcool que já faz muito sucesso na Europa. O nome exato da bebida é Spunch e ela é desenvolvida especialmente para a criançada brindar e comemorar junto com a família. O produto gaseificado não alcoólico é produzido a partir do suco natural do morango. Outro detalhe bacana fica por conta das embalagens decoradas com os personagens da Disney.” Fonte:vilamulher.com.br   Parece irresistível não é? Quase me […]

Leia mais)

Repelentes naturais – 7 receitas pra fazer em casa

joana scheer Em December 8th, 2015

Sempre foi importante proteger nossos pequenos de qualquer ameaça que possa cercá-los. Com essa onda de microcefalia o cuidado precisa dobrar. Não podemos nos esquecer no entanto que repelentes podem causar alergia e toxicidade se utilizados mais do que 3x ao dia. Pensando nisso reuni algumas receitas de repelentes naturais que podem ser feitos em casa mesmo com muita facilidade.   Repelente caseiro para bebes e crianças. Pode ser utilizado em bebes a partir de 2 meses de vida. 1 embalagem 150 ml do hidratante Proderm 1 colher de óleo essencial de alfazema Modo de preparo Num recipiente de vidro misture muito bem o conteúdo de cada uma destas embalagens e depois guarde-a no frasco do Proderm. Aplique em todas as áreas do corpo expostas ao mosquito, diariamente, de 6 a 8 vezes por dia. O complexo B possui um aroma que afasta os mosquitos, prevenindo suas picadas. Para complementar este tratamento caseiro basta acender uma vela de citronela, que também é um excelente repelente natural em cada cômodo da casa para manter os mosquitos afastados.   Repelente para bebês 2 1 pomada hidratante para bebês (por exemplo: Proderm emulsã hidratante, ou a que o pediatra do seu filho recomendar) 20 […]

Leia mais)

Eu não nasci pra mim

joana scheer Em November 18th, 2015

Quando eu era mais nova pulava muro, subia em árvore, não tinha medo de altura. Eu sou mais uma “tentante”. Nunca fui super mega máxi hiper boa em alguma coisa, mas tentava um pouco de tudo. Depois que tive o primeiro filho não consegui mais me jogar de cabeça (literalmente ou não). Amarelei. Tenho medo de altura, não desço ladeiras íngremes de skate (sim, tenho quase, QUASE trinta anos mas tenho um longboard e gosto de brincar com ele) e perdi a vontade de pular de paraquedas. Não consigo ficar um dia sequer sem pensar que preciso ficar bem. Se eu quebrar uma perna quem é que vai ficar com eles? E se algo acontecer comigo? Não permito que esses pensamentos me dominem por completo mas confesso que hoje cuido melhor de mim, por eles. Procuro me alimentar melhor pra que eu produza mais leite pro Daniel e tenha força pra cuidar bem deles. Quero (ainda não consegui) guardar mensalmente uma graninha, pra eles. Levanto nos dias difíceis que têm sido muitos porque preciso cuidar deles. Eles são motivações pra mim, e eu digo tudo isso não em um tom de pesar mas num tom de prazer e satisfação. Sou feliz assim, servindo […]

Leia mais)

Sobre o vídeo do menino quebrando tudo na escola

joana scheer Em October 30th, 2015

Vi recentemente um video de um menino de 7 anos quebrando tudo na escola. Enquanto ele jogava papéis, cadeiras e caixas no chão os funcionários filmavam indignados cogitando chamar a policia. O vídeo tem mais de 4 milhoes de visualizações e mais de 100.000 compartilhamentos e apareceu na minha timeline do facebook umas 10 vezes pelo menos em um só dia. E em todos, comentários do tipo “isso é um pequeno marginal”, “meu filho jamais faria isso”, “isso é culpa dos pais que não educam”, todo mundo tinha algo a dizer do menino, ou de seus pais. Os autores do vídeo escreveram uma pergunta… “o que fazer? Indiciar os pais?”. Eu raramente falo algo de peso em redes sociais porque sinceramente tenho preguiça de discutir, mas essa pergunta eu vou ter que responder.

Leia mais)

Segredos da maternidade

joana scheer Em October 8th, 2015

A gente vê pela internet imagens de crianças e mamães sorrindo, felizes e contentes. Assistimos na televisão comerciais aonde uma mãe linda, maquiada e super disposta preparar um café da manhã com tudo o que tem direito antes dos filhos irem pra escola. Bebês e mamães brincando durante a troca de fraldas, uma festa do algodão doce. Só que na vida real não é bem assim… Reuni aqui uma lista do que as mães guardam pra elas sobre a árdua e deliciosa maternidade.   A dor da peridural não é tudo isso. Dizem que dói muito, mas não é bem uma dor. O que incomoda mesmo é uma fisgada e o fato de ter alguém com uma agulha na sua coluna. Amamentar dói. Depois acostuma, mas no início pode até sangrar, e dói mesmo. O leite pode levar até 3 dias pra começar a descer, não se desespere. Quando tive o primeiro filho fiquei desesperada porque achei que não teria leite. Ele nasceu, sugava e nada. Quando o parto é normal/natural normalmente desce mais rápido porque a passagem do bebê pelo canal vaginal “avisa” o cérebro de que é hora de produzir leite. Após uma cesariana o leite pode levar […]

Leia mais)

Capítulo 1 – Da escola particular para a pública.

joana scheer Em October 3rd, 2015

Minha mãe me criou sozinha e precisava trabalhar então desde os meus 19 dias de vida eu fiquei em creches. Nos mudamos pro nordeste e ficamos lá até eu completar 6 anos, e então voltamos pra SP. Nesse meio tempo eu passei por uma creche em Fortaleza que me marcou muito, de uma maneira negativa. Em outro post contarei como foi esta experiência. Antes do meu filho mais novo nascer fui até a creche mais próxima e inscrevi meus dois mais velhos sem a mínima esperança de que iam nos chamar logo porque hoje existem mais de 100.000 crianças na fila. Na época conseguíamos pagar escolas particulares com a ajuda da minha mãe e eu estava esperançosa de que dali pra frente tudo só ia melhorar. Mas a vida é uma caixinha de surpresas e nem tudo acontece como esperamos. O dinheiro apertou e não tínhamos mais condições de mantê-los lá. Eles já estavam inscritos na fila da escola pública mas eu sinceramente não queria precisar coloca-los lá… e o medo? A creche aonde eu ficava não era pública, mas meu pensamento era: “se eu passei o que passei em uma aonde os professores recebiam mais e tinham melhores condições de […]

Leia mais)

Criança dando trabalho? Bota pra “trabalhar”

joana scheer Em September 30th, 2015

Aqui em casa pelo menos não existe melhor maneira de fazer meus filhos se comportarem do que colocá-los pra “trabalhar”. Colocá-los sentados pra pintar, desenhar, recortar é válido durante uns 10 minutos. Depois disso é briga, gritos ou o foco é perdido. É nessas horas que a tinta vai parar na parede, que a farinha escondida no armário vai parar em cada  mm³ da sua casa e por aí vai. Agora se eu preciso cozinhar, assar um bolo, estender roupas, colocar roupas na máquina, varrer a sala, etc… é só eu pedir ajuda que os dois vêm com todo o gosto e fazem tudo o que eu peço. Depois fica aquela sensação maravilhosa de realmente ter ajudado a mamãe. Quem é que não gosta de se sentir útil? Pois é, as crianças também. Depois de perceber que isso funciona tão bem nunca mais parei de usar. Quando eles me ajudam as tarefas demoram mais, mas nosso vínculo se fortalece, eles aprendem a ter responsabilidades (dadas de acordo com a idade, é claro) e se comportam muito, mas muito melhor porque se sentem bem com eles mesmos, se sentem “maduros”. Hoje lendo na internet descobri que tudo isso tem um nome que […]

Leia mais)

Carta de uma mamãe de recém nascido ao seu marido

joana scheer Em September 22nd, 2015

 A gestação traz alegria, muita alegria. Mas com essa alegria vem o medo. Medo de ser uma mãe ruim, medo de desapontar o marido, medo de não corresponder às expectativas (da família, amigos, marido e as dela mesma). Eu sentia tanta coisa, chorava do nada, parecia uma louca mas dificilmente dizia o que sentia pro meu marido. Eu mesma não entendia direito o que eu estava sentindo naquele momento e foi difícil pra mim lidar com tudo, principalmente comigo mesma. Se meu marido tivesse entendido como eu estava me sentindo naquele momento tão delicado provavelmente teria me ajudado mais e teríamos discutido menos. Escrevi uma cartinha com tudo o que eu gostaria de ter dito ao meu marido quando meus filhos nasceram. Acredito que muitas mamães vão se identificar.   Amor… quando eu chegar da maternidade estarei com medo, mesmo que já tenha sido mãe antes. Por favor compreenda e me acalme quando eu pirar. Diga que vai dar tudo certo mesmo que você também esteja com medo. Prometo te fortalecer quando você estiver inseguro mas por favor me ajude agora. Eu vou chorar mesmo que eu esteja feliz. Meus hormônios estão bagunçados dentro de mim e tudo o que você pode fazer neste […]

Leia mais)

Sobre como é ter três bebês pequenos ao mesmo tempo

joana scheer Em September 16th, 2015

  Muita gente me pergunta como eu consigo lidar com três filhos pequenos ao mesmo tempo principalmente quando se trata de um na fase de ansiedade de separação, um “terrible two” e um “threenager” juntos! Vou falar um pouco sobre isso hoje. Não sei o que as pessoas imaginam, mas pela intensidade dos comentários que ouço penso que a maioria imagina uma guerra dentro de casa, o caos instalado. E é mais ou menos isso mesmo, mas é assim na maioria das casas com pelo menos um filho, então a diferença não é muita. Minha casa nunca está arrumada. Tem sempre algum brinquedo em todos os lugares da casa, principalmente atrás e debaixo dos sofás e poltronas. É difícil sair com todos ao mesmo tempo quando meu marido não está. É possível, mas difícil e todo um planejamento é necessário antes de sair, de preferência no dia anterior. O Gabriel que tem 2 anos está na fase de teimosia sem argumentos, então quando dá na telha faz birra e se joga no chão, o que pra mim na verdade não é um grande problema mas com um bebê de 6 meses no colo dificulta um pouco a vida. Com o de […]

Leia mais)

O que fazer em caso de abuso infantil?

joana scheer Em September 4th, 2015

  A primeira dica é ter certeza do que está falando ou pelo menos algum embasamento. Ontem aconteceu uma situação muito chata pra mim como mãe, e essa situação me inspirou a escrever o post de hoje então vizinha mal amada, obrigada. O Daniel está com 6 meses, não dorme a noite toda  e tem tido dificuldade de embalar no sono. Tem ido dormir lá pra 1 da manhã, às vezes 2h. Só que antes de dormir ele dá AQUELE show, chora muito, fica incomodado porque está com sono mas não consegue dormir. E esse baile todo começa lá pelas 19h quando eu deixo ele com a minha mãe pra arrumar os outros dois pra dormir. Ele fica sonolemto, mau humorado e chora, reclama, resmunga por QUALQUER coisa. Enfim… minha mãe já tinha ido dormir e eu estava tentando fazê-lo dormir (porque TODO MUNDO que tem um filho sabe que uma criança briga até o fim contra o sono e chora durante todo esse processo). De repente toca o interfone.

Leia mais)