Sobre como é ter três bebês pequenos ao mesmo tempo

Em September 16th, 2015
Categorias: Experiências

 

Muita gente me pergunta como eu consigo lidar com três filhos pequenos ao mesmo tempo principalmente quando se trata de um na fase de ansiedade de separação, um “terrible two” e um “threenager” juntos! Vou falar um pouco sobre isso hoje.

Não sei o que as pessoas imaginam, mas pela intensidade dos comentários que ouço penso que a maioria imagina uma guerra dentro de casa, o caos instalado. E é mais ou menos isso mesmo, mas é assim na maioria das casas com pelo menos um filho, então a diferença não é muita.

  • Minha casa nunca está arrumada. Tem sempre algum brinquedo em todos os lugares da casa, principalmente atrás e debaixo dos sofás e poltronas.

  • É difícil sair com todos ao mesmo tempo quando meu marido não está. É possível, mas difícil e todo um planejamento é necessário antes de sair, de preferência no dia anterior. O Gabriel que tem 2 anos está na fase de teimosia sem argumentos, então quando dá na telha faz birra e se joga no chão, o que pra mim na verdade não é um grande problema mas com um bebê de 6 meses no colo dificulta um pouco a vida. Com o de 3 dá pra conversar e fazer “combinados” antes de sair.

  • Sempre tem alguma coisa pra fazer. Eu preciso de um tempo mas no momento não tenho. Tempo não só pra dormir, mas pra tomar uma longa xícara de café ouvindo o noticiário da manhã por exemplo. Um tempo de “nada a fazer”. Sei que “vai passar” mas essa idéia não me acalma nem um pouco, na verdade me faz sentir pior porque eu não consigo aproveitar o tempo individualmente com cada um como deveria e como gostaria.

  • Eu vejo meus amigos indo pra balada e penso que eles estão perdendo um tempo precioso de suas vidas.

  • O Daniel (6m) anda acordando muito durante a noite, e eu acordo bastante mal humorada e bufando pra amamentar. Detesto ter o sono interrompido, à noite pra mim é hora de dormir e eu mal posso esperar pra que ele durma tranquilamente a noite toda, tanto por mim quanto por ele mesmo.

  • Ter todos os meus filhos em casa ao mesmo tempo pra mim é um misto de sentimentos. Eu amo, porque os amo e quero ficar perto, mas o mais velho e o do meio se juntam e colocam fogo na casa então os finais de semana e os feriados pra mim vêm acompanhados de um frio na barriga, e as férias acompanham um período de insanidade da minha parte. Eu aprendi a amar segundas feiras. “Nossa Joana que maldade, você não gosta de ficar com os seus próprios filhos?” Essa pergunta nos leva ao próximo item.

  • Eu AMO estar com os meus filhos mas aprendi que todo ser humano PRECISA de um tempo pra organizar os próprios pensamentos, lidar com as próprias emoções e pensar em si mesmo. Eu não tenho tido esses momentos e isso tem gerado em mim muito, mas muito stress. Não são dias, meses, anos, são horas. Somente algumas horas. Enquanto estão na escola por exemplo e eu posso tomar minha xícara de café, ver um pouco dos noticiários, ler um livro, fazer as unhas, tomar um banho completo, coisas assim.

  • Aprendi a valorizar muito as pequenas coisas da vida, pequenas e necessárias como dormir, tomar banho e fazer o número 2. Ir ao banheiro sozinha é um alívio e muitas vezes é o único momento no dia aonde eu posso pensar um pouco em mim (ou em qualquer outra coisa)

  • Eu me culpo todos os dias por não me dedicar 400% à eles.

  • Quando alguém vem dar palpite com o argumento de “eu já criei sei lá quantos filhos” eu imediatamente fecho meus ouvidos e não presto atenção em mais nada do que aquela pessoa fala, afinal, eu estou criando 3 e sei muito, muito pouco. É muita pretensão dizer que sabe mais do que outra pessoa só porque criou mais filhos, e essas pessoas não têm minha atenção.

  • Eu preciso fazer listas pra tudo. Remédio pra quem, que horas, o que levar na hora de sair, etc.

  • Quando eu tinha 1 filho achava difícil. Quando tive o segundo pensei que um só é super fácil. Quando tive o terceiro pensei como ter só 2 é super fácil.

  • Quando eu posso sair à noite com meus amigos eu dificilmente quero sair. Eu quero dormir, ver um filme ou sentar no sofá e comer um monte de porcaria com eles, ou sozinha mesmo.

  • Eu sinto falta de ir ao cinema.

  • Tenho amigos verdadeiros e uma família que eu sei que nos amam, mas nunca consigo deixar meus filhos com eles pra fazer alguma coisa porque eles não dão conta dos meus dois mais velhos juntos a menos que estejam em grupo então só deixo com alguém em caso de emergência mesmo. Amigos, isso não me entristece de maneira nenhuma ok? Mas me faz rir, acho engraçado. E se você está pensando “eu dou conta, poderia deixar comigo”, é porque não convive conosco ou não passou tempo suficiente com eles pra vê-los juntos.

  • Sou mãe de 3 meninos e penso sim em ter mais um filho/a mais pra frente quando eu puder sustentá-los emocional e financeiramente, e eu NÃO ACEITO comentários do tipo “3 tá bom”, “faz cirurgia”. Se você pensa assim, que essas afirmações permaneçam nos seus pensamentos e nunca atinjam meus ouvidos ok? 😉

  • Não me importa quando me perguntam se eu queria ter uma menina. A resposta pra isso é que meus meninos sempre foram desejados do jeitinho que são e eu tenho no meu coração a vontade de um dia, se Deus quiser ter uma menina. Se Ele não quiser tudo bem também. O que eu posso afirmar que eu quero, é saúde (mental, emocional e física) na vida dos meus filhos sempre.

  • Temos uma rotina, principalmente à noite na hora de dormir. Isso facilitou absurdamente a nossa vida como família porque meus mais velhos tendo horário pra dormir por exemplo faz com que eu e meu marido possamos passar um tempo juntos e a sós. E nada como um banho pra acalmar os ânimos não é? Então toda noite é janta (que muitas vezes é um lanche), banho e cama.

  • Eu tenho momentos de choro incessante

  • Eu tenho dias de mal humor e irritabilidade absurdas aonde eu grito com eles e choro depois por ter gritado. Dias aonde eles vão dormir sem banho mesmo e com um lanche qualquer antes de dormir. Dias aonde eu não tenho vontade de fazer nada e quando o dia termina e eles dormem eu pulo de alegria. E se você está pensando que eu sou uma péssima mãe por conta disso você não é a única, eu também penso assim muitas vezes, mas aí lembro que sou ser humano e preciso me sentir um indivíduo (solo) às vezes.

  • Nunca tive gêmeos, mas penso que é muito parecido ou até mais difícil porque enquanto estava grávida de um corria atrás do outro. Enquanto um tá na fase de birra e se joga no meio do mercado o outro não anda e precisa ser carregado no colo, te deixando apenas com uma mão livre pra fazer tudo, inclusive levantar e muitas vezes arrastar o outro pra fora do estabelecimento. Enquanto o mais novinho acabou de aprender a andar e corre desgovernadamente pro meio dos carros no estacionamento do shopping porque não tem maturidade emocional pra entender o perigo disso o outro resolve que quer fazer manha e se jogar nesse mesmo estacionamento, e o outro um pouco mais velho mas ainda novinho diz que quer um brinquedo da vitrine e chora e grita quando a resposta é não, tudo isso ao mesmo tempo. Então são 3 fases mega difíceis ao mesmo tempo pra uma mamãe lidar.

  • Eu sou feliz e completa e não troco essa loucura por nada, de verdade. Cada abraço, cada “te amo” compensa todo o cansaço.

 

E é mais ou menos isso. A diferença principal entre ter 1, 2, 3 crianças pequenas em casa ao mesmo tempo é que é tudo mais intenso, e tudo ao mesmo tempo então uma maturidade emocional e amigos são essenciais. maturidade porque bom ou mau você é um exemplo pra essas crianças, e amigos porque existem sim os momentos de desespero, e você precisa que alguém diga que vai ficar tudo bem e que você não é um lixo por querer um tempo pra si mesma. Pouco tempo porque 24 horas é demais, eu morro de saudade.

Ler mais sobre: Experiências
Por Joana
joana scheer comente
Comente